Poema: Tá devagar demais

 
Andam devagar,
Os vagões dos trens.
Os pássaros nos ares,
“voam” devagar.

Devagar...
Chega devagar,
O pedido que faço na web.

Anda devagar,
O processo que “corre” na justiça,
A fila da lotérica e do banco.
O mundo gira aos solavancos
Perdido no sistema solar.

Anda devagar,
A dona Maria
Que precisa da aposentadoria
E não pode mais trabalhar.

Anda devagar,
A lei que incrimine
Os políticos corruptos que também fazem leis,
E jogue na grade de uma vez
O impune menor que vive fora da lei.

Andam devagar,
A lua e as estrelas;
A noite que passa ligeira;
As ondas que espumam no mar.

Andam devagar,
As carretas da 364,
E apesar de não ter asfalto
O “sistema” não pode parar.

Andam devagar,
os bois do seu Sebastião
Que toca o acordião
Na seca da terra do Juá.

Anda devagar
O aumento de salário...

Anda devagar quase tudo...
Só a vida que passa depressa
Nesse mundo de tantas promessas
E que nada sai do lugar.

Mais visitadas da semana

1001 perguntas Bíblicas com respostas

60 tipos de crente

Gerador de YouTube autoplay

Faça você mesmo este belo tamborete infantil para seus filhos

Clipes em destaque