Descubra nesta pequena história como você é especial para Deus...

Uma bela história capaz de impactar a tua vida. Pare tudo que estiver fazendo e leia este texto. Deus vai falar ao seu coração!!!

Conta-se que em uma cidadezinha existiam certas criaturas de madeira em formato de pessoas. Todas aquelas criaturas haviam sido feitas por um mesmo marceneiro chamado Eli, que as fizera com sabedoria tal que podiam andar, falar, correr... Algumas tinham certos talentos... Outras nem tanto, assim como são as pessoas. Aquelas criaturinhas eram chamadas de xulingos.

Os xulingos passavam o tempo colando adesivos umas nas outras... Carregavam uma caixinha de madeira com adesivos de dois tipos: o primeiro tipo era brilhante e em formato de estrelas e o segundo tipo era cinzento e redondo. Os xulingos com certas aptidões e talentos recebiam estrelas... Os que não possuíam habilidades recebiam adesivos de bolas cinzentas.

Havia um xulingo que se chamava Marcinelo. Era um desses xulingos desprovidos de habilidades. Por mais que tentava ser melhor só recebia bolas cinzentas. Seu corpo estava coberto de bolas cinzentas. Havia bolas cinzentas até no rosto de Marcinelo o que lhe atrapalhava a visão. Marcinelo sempre chorava e perguntava: – Por que fui criado assim sem habilidades? Que valor eu tenho?

Marcinelo até tentou tirar a vida, mas não conseguiu porque era feito de madeira.

Na pior fase de sua vida Marcinelo conheceu Lúcia.

Lúcia era uma xulinga diferente pois não possuía nenhum adesivo. Não era porquê os xulingos não tentava rotulá-la. Era porquê os adesivos não fixava nela. Marcinelo não perdeu tempo e perguntou para Lúcia o motivo pela qual ela não possuía adesivos. Ela respondeu: – É que todos os dias visito o meu criador.

Marcinelo então decidiu visitar o grande marceneiro Eli. Os sentimentos de inferioridade quase o fez desistir. Mas ele estava decidido.

Ao chegar lá. Marcinelo de cabeça baixa perguntou ao seu criador: – Para que fui criado se não tenho valor algum? Se tenho apenas qualidades negativas e todos sabem disso e só colam adesivos cinzentos em mim?

Prontamente Eli respondeu: – O que os outros pensam de você não faz sentido. Eu te criei de uma maneira especial e você tem muito valor para mim.

– Mas quando deixarei de ter adesivos cinzentos? – perguntou Marcinelo.

Eli afirmou: – Quando viver para fazer o que me agrada. Quando acreditar que eu te amo. Quando ver que todos tem o mesmo valor para mim independente das habilidades ou riquezas que possuem.

Marcinelo sentiu uma sensação agradável. Descobriu que tinha valor. Abriu um sorriso e alguns adesivos cinzentos caíram de seu rosto.

Assim somos nós. Muitas vezes acreditamos quando as pessoas falam que não temos valor e deixamos de ouvir a voz de Deus dizendo que nos ama. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Somos especiais.

Este texto foi adaptado do Livro Você é Especial de Max Lucado. Sugiro que adquira o livro neste link.

Sinta-se à vontade para compartilhar este texto com os amigo.

Deus abençoe grandemente a tua vida!!!

Poema Chuva do Espírito

Chegando o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava. Atos 2:1-4

Chuva que cai e molha a terra

Chuva que cai escorregadia

Chuva que é sempre bem vinda

Mesmo que seja tardia


Quero me molhar nesta chuva

Encharcar-me, envolver nestas águas

Quero beber esta água

Deliciar nestas águas tranquilas


Espírito Santo de Deus

Como água vem derramar

Bênçãos neste lugar


Vem como fogo descer

Meu coração encher

E os pecados queimar

Lição que as ovelhas deveriam aprender com os lobos

Os 3 primeiros são os mais velhos ou os doentes e marcam o ritmo do grupo.

Se fosse ao contrário, seriam deixados para trás e perderiam o contacto com a alcateia.

Em caso de emboscada dão a vida em sacrifício pelos mais jovens.

Eles são seguidos pelos 5 mais fortes que os defenderão em um ataque surpresa.

No centro seguem os demais membros da alcateia, e no final do grupo seguem os outros 5 mais fortes que protegerão o grupo.

Em último, sozinho, segue o lobo “alpha”, o líder da alcateia.

Nessa posição ele consegue controlar tudo ao redor, decidir a direção mais segura que o grupo deve seguir e antecipar os ataques dos predadores.

Em resumo, a alcateia segue ao ritmo dos anciões e sob o comando do líder que impõe o espírito de grupo não deixando ninguém para trás.

“O verdadeiro sentido da vida, não é chegar primeiro, mas chegar todos juntos ao mesmo destino”.

Texto: Jeovany Skarpathia

Fonte: http://licoescorporativas.com/o-exemplo-dos-lobos/