Noite chuvosa (poema)

Como o tique-taque do relógio
A hora que não quer passar
O tempo bruto, insólito
De uma noite sem luar

Relâmpagos que clareiam o céu
Revelam as nuvens escuras
E a chuva densa, torrencial
Cai num estrondo sem igual

A semente que plantei no jardim brota
Se desperta do sono a solitária flor
Que vem e seu aroma exala

E de lodo a terra se encrosta
E no peito lampeja um leve dor
E o trovão lá fora estala