Poema troféu

Não dá p'ra disfarçar
Enquanto o povo grita
Ouço uma arma a disparar
E uma mãe que chora aflita

Morre mais um filho da Pátria
Morre pois não tem hospital
Gastamos nosso PIB em estádios
Faltou para a saúde e educação

E o verde-amarelo repica
Sob um fundo cinza-lamacento
E a voz do aflito que grita
Se mistura à voz alegre
Dos que comemoram um gol

E a águia brilhante de prata
Se levanta e alça voo
Levando em suas garras afiadas
O verdadeiro troféu

Correis tão em vão
Querendo ser campeão!
Não sabeis que dessa terra
Nada se leva não?
O verdadeiro troféu
é o que conquistamos no céu