Header Ads

Poema: Fui Morar No Aeroporto

FUI MORAR NO AEROPORTO
Elizeu Barbosa Abreu

A tanto tempo de saudade quase morto
Tanto tempo faz que recebi a má notícia
Estou aqui morando no aeroporto
E apesar de ser muito o desconforto
Posso afirmar que ainda vivo

Cativo da solidão largado ao destino
Ainda me lembro quando eu era um menino
E a tua voz terna me acalmava
Eu que tão bravo fui um dia
Hoje tão frágil sou feito criança

E a dança do vento nas árvores
E o som forte de cada aeronave
Por mais forte que seja não mata a saudade
e a dor que no peito desatina

Porque estou aqui?
As vezes me pergunto
Por que sou bobo
Eu mesmo respondo

E ao ver o jato de fumaça do avião partindo
Recordo a dor que um dia senti
Em ver seu belo sorriso sumindo
E eu aqui, bem aqui.

Tecnologia do Blogger.