A verdadeira guerra santa

Você já deve ter se assustado com reportagens em que homens-bombas se autodestroem em locais estratégicos e tira a vida de muitas pessoas. Mas para os mulçumanos ortodoxos isso tudo é muito normal: é a guerra santa.

“A ideia da "guerra santa" surgiu quando Maomé se encontrava em Medina, depois da fuga de Meca (Maomé, no início de sua pregações, em Meca, foi perseguido e obrigado a fugir para Medina). Ele precisava defender-se dos habitantes de Meca e para isso necessitava organizar um exército, algo que exigia dinheiro.

Segundo a tradição, então lhe apareceu o anjo Gabriel, que sugeriu que assaltasse caravanas. Sendo bem sucedido, viu nisso uma aprovação divina. Conseguiu levantar dinheiro e montar seu exército. Depois combateu e venceu os habitantes de Meca, impondo-lhes sua religião. Maomé viu nisso a aprovação de Alá e formulou a promessa: quem morre nessa guerra santa vai direto para o céu. Os outros deverão esperar até o fim dos tempos.” (fonte: http://educaterra.terra.com.br/educacao/ala2.htm)

Nós cristãos, também estamos encravados em uma guerra santa, mas diferentemente dos seguidores de Alá, ‘pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniquidade nas regiões celestes.’ (Ef 6:12). Muitas vezes vencemos quando morremos pelo evangelho de Cristo: ‘Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.’ (Fp 1:21).

O evangelho deve ser pregado. Fomos convocados pelo ide do mestre. Muitos morrem em defesa de uma ideia, de uma opinião política, por causa de uma religião, etc. E você, estaria disposto a morrer pela mensagem do evangelho que transformou a sua vida? Pense nisto e lembre-se muitos cristãos estão sendo perseguido neste momento. Ore por eles.

Mais visitadas da semana

1001 perguntas Bíblicas com respostas

60 tipos de crente

Gerador de YouTube autoplay

Faça você mesmo este belo tamborete infantil para seus filhos

Clipes em destaque