Ovo de páscoa? coelhos? De onde veio essa idéia?

clique para ampliarO que é a Páscoa?

Êxodo 12:11
Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR.


Êxodo 12:21
Chamou pois Moisés a todos os anciãos de Israel, e disse-lhes: Escolhei e tomai vós cordeiros para vossas famílias, e sacrificai a páscoa.


Pelos textos Bíblicos acima entendemos que a Páscoa foi instituída  por Deus aos filhos de Israel e era uma ato simbólico de libertação: Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou. (Ex 12.27).

A Páscoa é uma instituição divina para os Israelitas:


Êxodo 12:43
Disse mais o SENHOR a Moisés e a Arão: Esta é a ordenança da páscoa: nenhum filho do estrangeiro comerá dela.


Êxodo 12:48
Porém se algum estrangeiro se hospedar contigo e quiser celebrar a páscoa ao SENHOR, seja-lhe circuncidado todo o homem, e então chegará a celebrá-la, e será como o natural da terra; mas nenhum incircunciso comerá dela.

O preparativo para a Páscoa


Números 9:13
Porém, quando um homem for limpo, e não estiver em viajem, e deixar de celebrar a páscoa, essa alma do seu povo será extirpada; porquanto não ofereceu a oferta do SENHOR a seu tempo determinado; esse homem levará o seu pecado.

II Crônicas 30:15
Então sacrificaram a páscoa no dia décimo quarto do segundo mês; e os sacerdotes e levitas se envergonharam e se santificaram e trouxeram holocaustos à casa do SENHOR.


II Crônicas 30:17
Porque havia muitos na congregação que não se tinham santificado; pelo que os levitas tinham o encargo de matarem os cordeiros da páscoa por todo aquele que não estava limpo, para o santificarem ao SENHOR.


 

Na Páscoa comiam se coisas amargas e não “doçuras”

Ezequiel 45:21
No primeiro mês, no dia catorze do mês, tereis a páscoa, uma festa de sete dias; pão ázimo se comerá.


Josué 5:11
E, ao outro dia depois da páscoa, nesse mesmo dia, comeram, do fruto da terra, pães ázimos e espigas tostadas.

 

O cristão e a Páscoa


Mateus 26:2
Bem sabeis que daqui a dois dias é a páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado.


Marcos 14:1
E DALI a dois dias era a páscoa, e a festa dos pães ázimos; e os principais dos sacerdotes e os escribas buscavam como o prenderiam com dolo, e o matariam.


Marcos 14:12
E, no primeiro dia dos pães ázimos, quando sacrificavam a páscoa, disseram-lhe os discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comer a páscoa?


Marcos 14:14
E, onde quer que entrar, dizei ao senhor da casa: O Mestre diz: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos?


Marcos 14:16
E, saindo os seus discípulos, foram à cidade, e acharam como lhes tinha dito, e prepararam a páscoa.


 

Jesus instituiu a Santa Ceia como substituta da Páscoa


Favor ler Lucas capítulo 22.


João 13:1
ORA, antes da festa da páscoa, sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até o fim.

I Corintios 5:7
Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.

Ovos de Páscoa, coelhos, de onde veio esta idéia?

Se você leu Lucas 22, já deve ter percebido que nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, a nossa Páscoa, instituiu a Santa Ceia como substituta da Páscoa que foi instituída para os judeus. A Santa Ceia é um memorial que relembra a morte do Primogênito de Deus cobrindo os umbrais de nossos corações contra o pecado. A Páscoa de Antigo Testamento é apenas um símbolo da verdadeira salvação que temos em Cristo. Cristo é o Cordeiro que tira o pecado do mundo. O verdadeiro cristão relembra o sacríficio de Cristo por ocasião da Santa Ceia sem recorrer a métodos pagãos inseridos na festividade da Páscoa atual.

Você deve estar assustado. Mas essa Páscoa com coelhos e ovos é totalmente pagã. O coelho é símbolo de leviandade e sexualidade. Você conhece a imagem abaixo? É Ishtar, ou Ostara a deusa da fertilidade e da primavera. Repare no desenho os famosos “eggs easters”.

E a imagem abaixo você já deve ter visto. Trata-se do símbolo da maior revista de pornografia da internet, a Play Boy.

Se o coelho é considerado como um animal imundo (Lv 11:5), com que propósito seria posto como símbolo de uma festa sagrada? Essas imagens foram colocadas no meio cristão disfarçadamente por ocasião do Concílio de Nicéia (d.c 325). Muitos consideram esses símbolos como se representassem o renascimento, mas na verdade é o paganismo e o consumismo que pouco a pouco mina o real significados e a essência do cristianismo. Hoje o Natal, a Páscoa e outras festas ditas cristãs, não passam de festas de luxúria e consumismo.

Que Deus nos abençoe e nos proteja e nos faça enxergar o real significado do sacrifício vicário de Jesus Cristo o nosso Senhor e Salvador.

Que Deus abençoe a todos.

Por favor, compartilhe!

2 comentários :

  1. Boas colocações (ervas amargas e não "docinhos"!), mas a páscoa cristã não substitui a páscoa judaica. Esta é um memorial eterno, a ser celebrado para sempre pelos judeus, cf. Gênesis 17:7; Êxodo 12:14; 1 Crônicas 16:15-18, etc., a respeito da Terra Prometida. Esse significado não pode ser mudado.
    Aliás, a última ceia nem foi na mesma data da páscoa. Ela ocorreu na noite “antes da Festa da Páscoa” (João 13:1) e sem um cordeiro. Na manhã seguinte os judeus ainda estavam se purificando para “comer a Páscoa” (João 18:28). Aquela tarde, quando Cristo estava sobre a cruz, era ainda a “parasceve pascal [preparação da Páscoa]” (João 19:14). Os cordeiros ainda estavam sendo sacrificados para serem comidos na refeição da Páscoa naquela noite.
    “Esta Páscoa” a que Jesus se refere em Lucas 22:15 não é somente para os judeus em memória da libertação do Egito; mas para todos os que crêem Nele, judeus e gentios. “Esta Páscoa”, a ser comemorada não com cordeiro, mas com pão e vinho (em memória do Seu corpo partido e de Seu sangue derramado), comemora a libertação do pecado, do mundo e do julgamento por vir, através do verdadeiro “Cordeiro de Deus”: “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha” (1 Coríntios 11:26). Assim como Israel foi libertado do Egito pela morte de um cordeiro, mas não substituiu o "Pesach", que ainda é comemorado pelos judeus somente (memorial eterno).
    Desculpe o longo texto, mas foi necessário para deixar claro este ponto de vista.
    Abs
    Georges
    do blog Doa A Quem Doer
    (http://doa-a-qem-doer.blogspot.com/)

    ResponderExcluir
  2. Não concordo que a páscoa cristã substitui a páscoa judaica, pois são coisas diferentes. A refeição da Páscoa, o cordeiro, tem um significado histórico envolvendo uma aliança eterna de Deus com os judeus (Gênesis 17:7; 1 Crônicas 16:15-18, etc.) a respeito da Terra Prometida. Esse significado não pode ser mudado. Aos judeus (e não aos gentios) é ordenado guardar a Páscoa para sempre (Êxodo 12:14). O próprio Cristo não poderia ter dado um “novo significado” para a Páscoa.
    Além do mais, a “Última Ceia” não era a Páscoa. Ela ocorreu na noite “antes da Festa da Páscoa” (João 13:1) e sem um cordeiro. Na manhã seguinte os judeus ainda estavam se purificando para “comer a Páscoa” (João 18:28). Aquela tarde, quando Cristo estava sobre a cruz, era ainda a “parasceve pascal [preparação da Páscoa]” (João 19:14). Os cordeiros ainda estavam sendo sacrificados para serem comidos na refeição da Páscoa naquela noite.
    O que Jesus disse: “Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes do meu sofrimento” (Lucas 22:15) significa que “esta Páscoa” não é a mesma dos judeus, com o cordeiro assado, guardada somente pelos judeus em memória da libertação do Egito. “Esta Páscoa” devia ser comemorada com pão e vinho (em memória do Seu corpo partido e de Seu sangue derramado) por todos que crêem nEle (judeus e gentios). Assim como Israel foi libertado do Egito pela morte de um cordeiro, a nova aliança comemora a libertação, dos que crêem, do pecado, do mundo pecaminoso e do julgamento por vir, através do verdadeiro “Cordeiro de Deus”: “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha” (1 Coríntios 11:26). Por isso Paulo disse: “Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado” (1 Coríntios 5:7).
    Um abraço.
    Georges
    (do blog Doa a quem doer)
    http://doa-a-quem-doer.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Scroll to top