Header Ads

Ataques Cibernéticos–A nova forma de fazer guerra

O que é?

Ataque cibernético é qualquer invasão por vírus ou crackers em qualquer meio informatizado e tem por objetivo espionar, destruir softwares e hardware, modificar as funcionalidades de sistemas, etc.

Exemplos de ataques cibernéticos

Exemplos de ataques cibernéticos: frequentes invasões da NASA por Crackers e agora o famoso Stuxtnet no Irã.

Vulnerabilidade brasileira

“O relatório remete ao caso do apagão elétrico no Brasil no ano passado. "Em novembro de 2009, houve reportagens na mídia dos Estados Unidos dizendo que duas interrupções no fornecimento de energia no Brasil em 2005 e 2007 haviam sido causadas por hackers, talvez como parte de um esquema de extorsão", cita o texto.
Dias depois da publicação dessas notícias, 18 estados brasileiros ficaram sem energia. Uma das hipóteses para explicar o incidente foi um ataque de hackers que teria desligado a usina de Itaipu.
Em abril do ano passado, a companhia Telefônica também citou uma invasão de seus sistemas como justificativa para os graves problemas que seu serviço de internet rápida vinha apresentando no Brasil.”  fonte: Inovação tecnológica.
 

O que um ataque cibernético é capaz de fazer?

Em 2007, durante o período de tensão com a Rússia, ocorreram ataques reiterados aos sítios das instituições públicas e meios de comunicação social estónios.
Em 2008, o sítio do governo e do presidente georgianos esteve inoperacional durante a guerra da Ossétia do Sul.
Em Março de 2009, os sistemas tecnológicos de informação de governos e organizações privadas de 103 países foram atacados por uma rede que extraía documentos de natureza confidencial. fonte: Parlamento europeu.
Agora recente o famoso Stuxtnet no Irã e na Índia. Muitos afirmam que foram desenvolvido pelos EUA e Israel para combater principalmente o enriquecimento de Urânio nestes países. fonte: Olhar Digital.
Vírus como o Stuxtnet é capaz de dar “ordens aos sistemas”. Só lembrando que todos sistemas modernos são automatizados subtende-se que todos corremos um grande risco.
Os ataques informatizados representam a maior ameaça para os Estados Unidos, depois da guerra nuclear e das armas de destruição em massa, e são cada vez mais difíceis de impedir, segundo especialistas da Polícia Federal norte-americana (FBI).
Durante uma conferência em Nova York em 7 de janeiro de 2009, Shawn Henry, diretor adjunto da divisão informática do FBI, disse que esses ataques representam "o maior risco para a segurança nacional, depois das armas de destruição em massa e de uma bomba em uma de nossas metrópoles". Hoje, dois anos depois, assim como a tecnologia aumentou, cresceu também o número de ataques.
Veja alguns áreas que podem ser afetadas por ataques cibernéticos:
  • Sistemas de hospitais responsáveis por microcirurgias podem ser afetados.
  • Sistemas de tratamentos de águas que usam computadores para dosagens;
  • Sistemas de fabricação de fármacos;
  • Sistemas de GPS de aeronaves;
  • Bancos podem ser roubados;
  • Sistemas de bancos de dados podem ser extraviados;
  • Redes de computadores podem ser isoladas;
  • e muitas outras coisas que nem imaginamos neste exato momento.

Conclusão:

No mundo não há segurança. A única coisa que podemos fazer é instalar um antivírus em nosso PC, já sabendo que ele não serve para nada, já que milhares de novos vírus surgem todos os dias. Já os países deveriam aumentar a pena para infratores cibernéticos.
Assista o vídeo a seguir e até a próxima:












Tecnologia do Blogger.